Seis disciplinas com média negativa nos Exames Nacionais do Ensino Secundário

Written by  //  16 de Julho de 2011  //  Especial Exames Nacionais 2011, Por Perto  //  No comments

Os resultados da 1ª fase dos Exames Nacionais do Ensino Secundário foram marcados por grandes oscilações quando comparados aos valores de 2010. As disciplinas que tiveram média abaixo de 9,5 são seis, mais duas do que no ano passado.

Com seis disciplinas com média inferior a 9,5 valores, este ano a “estabilidade” com que o anterior Ministério da Educação caracterizou os resultados não se manteve. História e Cultura das Artes, Matemática B e Português foram as disciplinas com médias mais baixas (8,9 valores) enquanto as médias mais altas registaram-se nas línguas como o Alemão de Continuação (16,1) e o Espanhol de Continuação (13,9).

O exame de Português atingiu os resultados mais baixos dos últimos 14 anos, com uma média de 8,9 valores e um total de 37 685 reprovações. Por outro lado, os resultados do exame de Física e Química foram marcados pela descida da taxa de reprovações e por uma média positiva (9,9 valores) pela primeira vez em seis anos. Matemática A também não apresentou resultados positivos (9,2 valores), registando menos 1,6 valores e mais sete por cento de chumbos do que em 2010.

A presidente da Associação de Professores de Português, Edviges Antunes Ferreira, defende que os resultados negativos da disciplina se devem ao facto da maior parte dos alunos, cerca de 70 por cento, estarem no “ramo científico” e não no “ramo humanístico”. Desta forma, mais do que a dificuldade do exame, o “factor aluno” apresenta-se como uma explicação viável para os resultados, uma vez que estão mais preocupados com as disciplinas específicas (Matemática, Física e Química, Biologia e Geologia e Geometria Descritiva) do que com Português. Ainda assim, no que diz respeito ao “próprio exame”, as questões gramaticais “muito directas” colocaram certos entraves aos alunos.

Miguel Abreu, presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM), revelou que o aumento do número de reprovações no exame é normal, uma vez que a prova foi mais complexa e mais trabalhosa do que a de 2010. Deste modo, a descida da média em 1,6 valores não é “significativa”, adequando-se ao “grau de dificuldade” do exame. Ainda que a taxa de reprovação tenha aumentado de 13 para 20 por cento, Miguel Abreu afirma que “eram precisos dar mais passos no sentido de os exames do 12º ano se aproximarem de um grau de exigência adequado para o final do ensino secundário”.

Os resultados dos Exames Nacionais do Ensino Secundário valem 30 por cento da nota final do aluno e poderão servir como Prova de Ingresso no acesso ao Ensino Superior.

(Mais para breve…)

About the Author

DezInteressante

Para quem se interessa.

View all posts by

Leave a Comment

comm comm comm