Maioria dos portugueses passa Natal em casa

Written by  //  18 de Dezembro de 2011  //  Natal 2011, Por Perto  //  No comments

Em ano de crise, 72 por cento dos portugueses não vai viajar durante o Natal. A principal preocupação de quem vai enfrentar o frio do Inverno e fazer-se à estrada é o abuso do álcool ao volante.

A quadra natalícia vai ser, para 72 por cento dos portugueses, passada em casa. Portugal torna-se, assim, no país mais caseiro do estudo levado a cabo pela GfK, onde também entram Espanha, Itália, Suíça, Alemanha, Áustria e Rússia.

A encabeçar as preocupações daqueles que se deslocam para celebrar o Natal está o abuso do álcool ao volante, a principal dor de cabeça para 32 por cento dos inquiridos.

Mas se Espanha e Rússia também se preocupam com os efeitos da bebida ao volante, para os austríacos, suíços e alemães as deficientes condições das estradas devido ao mau tempo são a dificuldade fundamental. Itália é o único país onde os congestionamentos de trânsito constituem o principal problema.

Dos 21 por cento de inquiridos que vai fazer-se à estrada, três em cada quatro elegem o automóvel como meio de transporte utilizado, enquanto 18 por cento planeia deslocar-se a pé e seis por cento em transportes públicos.

Apesar de ser uma época de paz e alegria, 37 por cento dos inquiridos considera que o seu modo de condução continua igual. Sete por cento afirma estar mais calmo, mas para seis por cento conduzir no Natal equivale a irritação e, para três por cento, pressa.

A maioria dos portugueses percorre distâncias inferiores a 50 quilómetros, tendência comum aos países mediterrânicos como Espanha ou Itália. Na Alemanha e Rússia, países de maior dimensão, os viajantes natalícios chegam a percorrer 300 quilómetros.

Outra diferença é que em Portugal e Itália, o Natal é maioritariamente uma festa de família, enquanto os russos o celebram com os amigos. A Suíça, Alemanha e Áustria não param nem nesta quadra, sendo os países onde mais se trabalha durante o Natal.

Encomendado pela Zurich, o estudo “Natal 2011” resultou de 4.315 entrevistas telefónicas, 625 das quais realizadas entre 7 e 22 de Novembro em Portugal, a maiores de 15 anos.

About the Author

Cátia Soares

Estudante de Ciências da Comunicação. Sonhadora nata com vontade de aprender mais sobre o mundo e o jornalismo através de projectos tão (dez) interessantes quanto este.

View all posts by

Leave a Comment

comm comm comm