Amor, de onde teclas?

Written by  //  14 de Fevereiro de 2012  //  Dia dos Namorados  //  No comments

Joana e Ricardo conheceram-se há cerca de três anos no mundo online e namoram há nove meses. Um jogo virtual foi o cupido que uniu estas duas pessoas. O espaço web casamenteiro que, apesar dos perigos, ainda vai construindo algumas histórias de amor.

Com Cátia Carmo e Cátia Soares

“Passeámos todo o dia à beira rio, falámos bastante e ainda andámos às compras, como se tivéssemos estado juntos antes”, recorda Joana naquele que foi o primeiro encontro entre ela e o actual namorado. Separados por 300 km de distância, Joana em Lisboa e Ricardo no Porto cruzaram-se no mundo virtual e nunca mais se separam. Há nove meses que namoram e o romance vai de vento em popa.

Manter uma relação à distância é, nas palavras de Joana, “bastante complicado”. A dificuldade em manter um relacionamento nestes moldes não é escondida, mas é colmatada pelas conversas diárias e as visitas que se realizam de tempos a tempos. “Sempre que há oportunidade eu vou até casa dela ou ela vem ate cá a cima”, conta Ricardo. “Durante o resto dos dias vamos mantendo o contacto. Falamos muito”.

Um jogo online de RPG (Role-playing game),  foi o suficiente para juntar o casal de namorados. “Nos primeiros meses falávamos ocasionalmente quando estávamos a jogar, mas foi muito rápido até trocarmos números de telefone e começarmos a conversar por sms”, explica Ricardo. Depois demorou pouco tempo até a cumplicidade crescer: “A certa altura tornámo-nos inseparáveis”, diz Joana.

Os perigos da Internet não foram, porém, esquecidos. “Certamente que existem todos os dias pessoas a ser enganadas, mas acredito que são mais as coisas boas a acontecer do que as más”, explica Ricardo. Não se pode conhecer realmente a pessoa que está do outro lado. Ricardo até brinca, explicando que na altura do primeiro encontro com a futura namorada a mãe lhe disse: “Chegas lá e vais é encontrar um homem em vez de uma mulher”.“Pela internet há um maior à vontade para conversar com a pessoa que está do outro lado”, acredita o jovem, que vê na internet a possibilidade de ultrapassar a distância.

Joana por seu lado, explica que quem não está habituado às lides da internet e com a comunicação com pessoas através dela, “pode tornar-se bastante perigoso”, mas que tudo reside na experiência e conhecimento que se tem quando se lida com esta ferramenta.

Segundo o casal, “a internet é apenas um meio” para poderem estar juntos e conversarem no dia-a-dia, não correndo por isso o risco da relação se tornar pouco humana e dependente deste meio de comunicação.

O caso de sucesso parece mesmo não ser o único. “Conheço vários casais que se conheceram neste jogo virtual, estão juntos há bastante tempo e até já têm filhos que também jogam isto”, explica Joana.

About the Author

Diana Rodrigues

Aspirante a Jornalista, estudo Ciências da Comunicação na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Apaixonada pela escrita e tudo o que ela envolve. Escrevo, leio e danço. Um caderno, um lápis, um livro e um mp3 são objectos essenciais. Fernando Pessoa dizia "Tenho em mim todos os sonhos do mundo", e apesar de não ter pessoas a viver dentro de mim, os sonhos também os tenho.

View all posts by

Leave a Comment

comm comm comm