Salários baixos não aumentam competitividade de empresas lá fora

Written by  //  28 de Abril de 2012  //  Por Perto  //  No comments

Cavaco Silva disse que salários baixos não são uma boa opção para as empresas portuguesas se afirmarem no mercado internacional. O Presidente da República acredita que “existem sempre outros países que terão salários mais baixos do que Portugal”.

Aníbal Cavaco Silva disse que não será através do pagamento de salários baixos que as empresas portuguesas conseguirão afirmar-se nos mercados internacionais. Na passada sexta-feira, durante uma sessão solene no município de Águeda, o Presidente da República disse “que ninguém pense que as empresas portuguesas conseguirão afirmar, de forma sustentada, a sua competitividade no mercado internacional à custa de salários baixos”.

Cavaco Silva explicou que baixar salários não será a melhor aposta a fazer pelas empresas portuguesas, sendo que “existem sempre outros países que terão salários mais baixos do que Portugal”. A competitividade, para o Presidente da República, deverá surgir com o melhoramento substancial da qualidade dos produtos, entre outros factores.

“Teremos de fazer um esforço acrescido na competitividade, na inovação, nos produtos novos, nos produtos diferentes, aproveitando também o que é diferente de todos os outros países, tal como cada concelho tem que aproveitar aquilo que é diferente dos outros concelhos”, explicou.

Cavaco Silva acredita que uma boa imagem do país nos mercados internacionais é meio caminho andado para Portugal ser bem-sucedido. Durante o seu discurso, o Presidente da República aproveitou ainda para criticar “agentes políticos e analistas” por não reconhecerem a “importância da imagem do país” e da “percepção que os estrangeiros têm de Portugal” para o “nosso sucesso”.

About the Author

Diana Rodrigues

Aspirante a Jornalista, estudo Ciências da Comunicação na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Apaixonada pela escrita e tudo o que ela envolve. Escrevo, leio e danço. Um caderno, um lápis, um livro e um mp3 são objectos essenciais. Fernando Pessoa dizia "Tenho em mim todos os sonhos do mundo", e apesar de não ter pessoas a viver dentro de mim, os sonhos também os tenho.

View all posts by

Leave a Comment

comm comm comm