Vacas francesas bebem vinho para a carne ficar mais saborosa

Written by  //  11 de Julho de 2012  //  De Longe  //  No comments

Algumas vacas francesas estão a ser alimentadas com vinho diariamente. Esta nova técnica tem o objectivo de tornar a carne de vaca mais saborosa e tenra.

Com a intenção de melhorar a qualidade da carne de vaca, na região de Lunel-viel, no sul de França, iniciou-se um processo em que as vacas bebem vinho na sua alimentação diária. O autor desta ideia foi Jean-Charles Tastavy, que falou ao jornal britânico The Telegraph. Disse que as vacas estão visivelmente mais felizes e que a carne se tornou mais suculenta e saborosa. Esta ideia passou por uma experiência com três vacas, alimentadas com vinho numa mistura de feno, cevada e uvas, durante quatro meses. Após esse tempo experimental, com duas vacas de raça Angus e uma de raça Camargue, as vacas passaram a beber vinho das conceituadas vinhas de Saint-Genies des Mourgues.

“Para cada animal, a ingestão de álcool deve ser equivalente à quantidade recomendada pelas autoridades de saúde para um homem – ou seja, dois ou três copos de vinho por dia, no caso das vacas, isso equivale a entre um litro e um litro e meio por dia”, disse Tastavy ao jornal The Telegraph. Já Claude Chaballier, o proprietário da quinta onde esta experiência inicial teve lugar, no ano passado, afirma que as vacas beberam o vinho com prazer. Laurent Pourcel, um conceituado chef, detentor de uma estrela Michelin, é um entusiasta desta ideia e do que promete ser uma carne de luxo. “Ela [a carne destas vacas] tem uma textura muito especial – bonita, marmorizada e tenra e que carameliza durante a confecção. Todos os melhores restaurantes parisienses a vão querer”, afirmou.

Na verdade, esta ideia não é pioneira. Os criadores japoneses do gado Wagyu já faziam algo semelhante, ao dar cerveja aos animais para assim obter o famoso bife Kobe, tido como um dos melhores do mundo. Mas a carne destas vacas que têm ingerido vinho diariamente promete ser um produto ainda mais luxuoso. A esta carne deu-se o nome “Vibovin”. Porém, com esta nova técnica de alimentação das vacas, existe um inevitável aumento dos custos de produção, o que terá consequências no preço desta carne luxuosa. Prevê-se que a carne “Vibovin” poderá chegar até aos cem euros por quilograma.

About the Author

Cintia Costa

O meu nome é Cíntia Tomaz da Costa, frequento o curso Ciências da Comunicação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. O meu objectivo profissional é perseguir uma carreira no jornalismo. Gosto de escrever e ler, mas tenho interesses noutras áreas, como música, dança e desporto, nomeadamente voleibol. Gosto de viajar e conhecer novos lugares, novas pessoas e novos costumes.

View all posts by

Leave a Comment

comm comm comm