“Os alunos têm direito a fazer os seus exames”

Written by  //  11 de Junho de 2013  //  Por Perto  //  No comments

nuno crato, ministro da educacao, ciencia e ensino superiorNuno Crato veio dizer que o calendário de exames mantém-se e que o governo vai recorrer da decisão do colégio arbitral quanto à existência dos serviços mínimos. Para o ministro da educação, a greve baseia-se em motivos “falsos” e só “prejudica a escola pública”.

“Os exames de dia 17 mantêm-se e vamos recorrer da decisão”, garantiu Nuno Crato devido à ameaça de greve que continua por parte dos professores. O ministro da educação informou ainda que o governo vai recorrer da decisão tomada pelo colégio arbitral, que se negou a garantir os serviços mínimos para o primeiro dia de exames do ensino secundário, condicionando a realização das provas.

Nuno Crato defende que “os alunos têm direito a fazer os seus exames” e que “esta greve prejudica sobretudo a escola pública”, “não beneficia os professores e prejudica claramente os alunos”. Assim, em pleno calendário de exames, o ministro da educação considera esta atitude “lamentável”.

O ministro da educação afirmou ainda que os motivos desta greve são “falsos”. “O primeiro é o alargamento da componente letiva dos professores, quando, num despacho de maio, está garantido que os tempos lectivos vão manter-se”. Quanto ao segundo, trata-se da requalificação que, de acordo com o ministro, foi dada a oportunidade aos sindicatos para que estes encontrassem outras alternativas.

About the Author

Florbela Lourenço

Vinda do interior do país, estudo Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa. Gosto de ler, escrever e observar o que me rodeia. Tenho como objectivo trabalhar na área do jornalismo, sobretudo em televisão e/ou imprensa.

View all posts by

Leave a Comment

comm comm comm